terça-feira, 22 de outubro de 2013

Um doril e um anador por favor?

Uma das coisas que mais me intrigam nesse mundo, é a irresponsabilidade das pessoas com o sentimento alheio. Hipocrisia? Talvez! Não conheço uma pessoa nesse mundo que não tenha vivido um momento hipócrita e que possa vir julgar quem quer que seja.
Irresponsabilidade, essa é a palavra! As pessoas pensam pelo momento, vivem o momento, mas parece que em momento algum elas pensam se o que estão vivendo é realmente um momento ou pelo menos uma expectativa duradoura.
Além da irresponsabilidade, quero chamar atenção neste texto também, a Vulnerabilidade das pessoas... pessoas volúveis geralmente agem com irresponsabilidade perante as outras. Cabe a cada um de nós suportarmos os "maus momentos" dessas pessoas volúveis.
Sempre admirei aquelas pessoas que não sabiam o que queriam da vida, pois esse não saber o que se quer pode acarretar uma vida repleta de emoções que pessoas mais pé no chão não compreendem e sofrem essas consequências. Quem nunca teve que lidar com pessoas assim? Quem se joga de cabeça em uma relação em que SOMENTE NA SUA CABEÇA seria duradoura, mas que um belo dia a pessoa levantou e viu que "de repente, (não mais que de repente) não queria mais!
A vida é essa. Tudo tem um preço e por tudo se paga.
E no final, tudo se ajeita! Mas ainda não inventaram uma vacina contra a irresponsabilidade emocional alheia. E a culpa é de quem?

segunda-feira, 26 de agosto de 2013

Lado bom

Como uma profecia que se cumpre, podemos dizer para a vida que "temos o lado bom".
O que você expressa quando pensa no seu lado bom? O seu lado bom é bom para as outras pessoas?
Você é bom em fazer maldades?
Você é bom ao fazer caridades?
Você é bom de cama?
Você é bom em tudo?
ou você é simplesmente bom?
bonzinho?
banana?
O que de bom você tem à oferecer as outras pessoas?
E a si mesmo?

sábado, 24 de agosto de 2013

Devaneios de uma alma...

É cada motivo que nos leva a escrever.. engraçado é perceber quão faz bem escrever, faz tanto tempo que não escrevo mesmo, grandes textos mesmos (não tão bons), porém, grandes, daqueles que você expulsa até o último demônio da alma...
De repente me vejo sentindo uma necessidade enorme de expulsar os sentimentos ruins. Nada como falar um pouco de si, da vida em si e da vida nesse mundo...
Acredito que tudo o que passamos, são experiências únicas.. ser criança foi único, adolescência trouxe consigo um mar de incertezas as quais eu tinha certeza que seriam solucionadas quando finalmente chegasse a fase a adulta e eis que estou aqui... tão incerta das coisas como uma pré-adolescente.
O que será da velhice? Tão inédito quando a presente fase. Nada como surtar sobre as coisas e as pessoas, nada como observar as pessoas, nada como falar de pessoas e nada como falar de si para as pessoas... nada como as próprias pessoas.
Me pego pensando se esse negócio de destino é certo. As vezes o tiro parece certeiro, mas será que é? Será que existem sinais por detrás de cada acontecimento, ou será que tudo é mesmo aleatório? As vezes nos prendemos a detalhes estapafúrdios do tipo "nossa, ele gosta de sopa de agnoline também". Engraçado, como qualquer merda nos deixa absolutamente burros quando estamos apaixonados. Será essa a merda? Como o destino é bom, juntando duas pessoas que gostam de sopa de agnoline.. não é mesmo??
A vida, os lugares e as pessoas... como entendê-las? Como entender a si mesmo? Como confortar a alma perdida em si? 
O que dizer das nossas escolhas? Nem sempre fazemos as melhores. Me arrependo de algumas, principalmente os docinhos errados em uma partida de Candy Crush... isso me deixa louca da vida...
Brincadeiras a parte, escolhas erradas podem tomar um precioso tempo.. estamos dispostos a perder tempo com escolhas erradas e incertezas? 
As incertezas são nosso sentimento mais puro. Isso é incontestável! Nada mais honesto do que uma dúvida... 

domingo, 9 de junho de 2013


O coração não tem noção de nada.
Nem de tempo;
Nem de geografia.

domingo, 3 de fevereiro de 2013

Sobre a vida.

A vida realmente é a coisa mais engraçada. Ela passa rápido, ela surpreende, ela é maravilhosa, é ruim, é insuportável levá-la algumas vezes. Repito: Nada é tão engraçado como a vida! O que mais nesse mundo, ou melhor, nesse universo, é digno de levar infinitos adjetivos ao mesmo tempo? É o mistério que fascina, que assusta, que enlouquece, por ninguém jamais ter desvendado o seu segredo. Segredo esse, que partilhamos a dúvida, e que ninguém nunca voltou para nos contar, embora, há quem diga que isto já aconteceu.
Quem nunca parou para pensar sobre a finitude dessa dádiva? que embora na condição de dádiva, consegue desestruturar até o cérebro mais sensato? Quem nunca parou para pensar para onde vamos? Quem nunca pediu a própria mente para que mude de assunto? Quem nunca deixou para lá? E quem resolveu expressar?


domingo, 30 de dezembro de 2012

Adeus 2012!!

Como posso classificar 2012? A meu ver 2012 foi um ano de desafios onde eu tive que buscar muitas inspirações para concluir tudo o que tinha que fazer. Mas o mais importante foi feito. Mudei. Mudei de humor, mudei de ares e mudei tudo mais que me incomodava. E no fim, 2012 está terminando muito melhor do que pensei, ou do que como almejei no final de 2011.
Gostaria de agradecer às grandes inspirações do ano, em primeiro lugar minha família por sempre me apoiar e me ajudar a segurar o rojão quando as coisas estouram... É deles onde eu tiro forças para enfrentar tudo...

Em segundo lugar gostaria de agradecer à todos os meus amigos. Todos. Sem excessões. Todos foram importantísimos nesse ano, mas queria fazer um agradecimento especial à Bruna e o Alexandre, que foram os que fizeram toda a diferença e que me fizeram agir e recobrar a alegria de viver. (Mesmo de longe você conseguiu, viu Alê?). Mas a Bruna? aaaaaaaaa Bruneixon! Não tenho palavras pra descrever a alegria enorme que sinto por ter te reencontrado nessa vida e descobrir com você que podemos ser felizes independente do que nossa vida amorosa nos diga. E descobri com você também, que os amigos são nosso porto-seguro e que quando ambos sofremos decepções, escoramos um no outro para nos mantermos em pé. E isso foi, sem dúvidas, importantíssimo e me fez enxergar o quanto eu tenho bons e valiosos amigos. E espero um dia poder retribuir à altura toda essa força que você me deu, das vezes que você me arrastava pras baladas para sorrir um pouco, ou pelo menos tirar uma foto com a Aline Crack, você fez toda a diferença em 2012 e com certeza fará em 2013, obrigada por ser essa pessoa alegre e alto astral que contagia quem está a sua volta.
Tenho tanta coisa pra agradecer em 2012... que nem sei como finalizo isso aqui, mas quero deixar meus sinceros votos de paz e felicidade à todos que passaram pela minha vida esse ano e que de alguma forma deixaram seus rastros em minha vida... e que 2013, 2014, 2015 e o resto de nossas vidas seja abençoado com muita paz, saúde e festas!!









Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...